NOTÍCIAS

12/12/2012


Brasília, 11/12/2012 – As áreas de habitação, saneamento e infraestrutura urbana terão em 2013 um total de R$ 59,6 bilhões do FGTS. Para o quadriênio 2012/2016 estão previstos um total de 240 bilhões de recursos do Fundo. Os valores foram ratificados nesta terça-feira (11) pelo Conselho Curador do FGTS. “É o maior orçamento já aprovado. Os recursos vão beneficiar mais de 550 mil famílias, principalmente as beneficiárias do Programa Minha Casa Minha Vida”, avaliou o presidente em exercício do Conselho, Luiz Fernando Emediato.

Para habitação estão previstos R$ 46,4 bilhões, saneamento básico vai receber R$ 5,2 bilhões e a área de infraestrutura terá, para o próximo ano, um total de R$ 7 bilhões. Dos recursos para habitação, a maior parte R$ 36,7 bilhões será destinada à habitação popular, principalmente aos beneficiários do programa Minha Casa Minha Vida. Ao subsídio a famílias de baixa renda o Fundo prevê um gasto de R$ 6,4 bilhões em descontos. O programa Pró-Moradia vai receber R$ 1 bilhão e outros programas não enquadrados como habitação popular estão designados R$ 3,3 bilhões.

Dos R$ 240 bilhões aprovados, R$ 59,6 bilhões serão para o ano 2013. Entre 2014 e 2016 – período em que serão realizadas no País, respectivamente, Copa do Mundo e as Olimpíadas - serão destinados R$ 60,2 bilhões a cada ano. “A expectativa é que o aporte possibilite a geração de cerca de 2,7 milhões de empregos no próximo ano”, adiantou Emediato.

Os valores propostos consideram principalmente as diretrizes e metas do Programa de Aceleração de Crescimento – PAC e do Programa Minha Casa Minha Vida, que tem foco nas famílias com renda mensal de R$ 3,2 mil. Do recurso de subsídio, R$ 5,3 bilhões serão para a produção ou aquisição de imóveis novos dentro das linhas do programa.

Descontos - Os conselheiros também aprovaram a suplementação de R$ 400 milhões de subsídio para habitação popular ainda este ano. Com a suplementação, o valor que era de R$ 6,4 bilhões vai alcançar R$ 6,8 bilhões em 2012. O valor inicial aprovado no orçamento total deste ano foi de 43,9 bilhões, mas com as suplementações o FGTS já liberou um total de R$ 74,7 bilhões. A área de habitação popular recebeu R$ 36,7 bi; para saneamento básico R$ 5 bi e outros R$ 5 bi foram para infraestrutura urbana. Outras carteiras, como CRIs, Pró-Cotista, debêntures, receberam um total de R$ 10,3 bi, subsídio R$ 6,4 e por meio do FI-FGTS foram aplicados R$ 11,3 bilhões no ano.

Fonte: MTE

NOTÍCIAS